Terça, 26 de Outubro de 2021
27 99902-4179
Cultura Conversa

A Educação do Campo e o sujeito

Com Rondilei Paixão

29/09/2021 09h29
Por: Redação O Diário Fonte: Diversas
A Educação do Campo e o sujeito

Ao longo do tempo, o campo vem ganhando reconhecimento, muito além daquele pensamento obsoleto, engenhado no preconceito de que o espaço campesino é apenas um local de exploração do latifúndio, na qual, a visão está 100% voltada apenas para o capital.

Dentre esses reconhecimentos, através das lutas dos movimentos sociais e dos povos campesinos, o campo conquistou sua própria educação com totais qualidades, centrada na realidade de vida de seus sujeitos: a Educação do Campo.

Segundo a professora Doutora Rosali Caldart (2004), a Educação do Campo pode ser compreendida como fenômeno social constituído por aspectos culturais, políticos e econômicos. Nessa modalidade educativa, o sujeito é o protagonista de sua própria história dentro do contexto pedagógico, conforme previsto ao longo do Decreto nº 7352/2010.

Com as demandas das escolas do campo, houve então a necessidade de profissionalização para essa educação propícia para o campo. Com isso, as principais universidades públicas brasileiras passaram a ofertar o curso de Licenciatura em Educação do Campo, inclusive a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), que atualmente está com inscrições abertas (de 13/09 a 15/10) em seu site oficial, nos campus de Goiabeiras e de São Mateus.

É preciso entender que a Educação do Campo não é simplesmente uma educação no campo. Há uma grande diferença que aborda a didática pedagógica, onde as singularidades contemplam o local, porém, pedagogicamente, Educação do Campo é a educação da qual estamos falando, ou seja, é uma educação centrada na realidade do sujeito e tudo que o envolve, enquanto, a educação no campo, trata de uma educação urbana, mesmo realizada na área rural, mas com as mesmas metodologias pedagógicas utilizadas no meio urbano.

Aí está a necessidade do emprego da verdadeira Educação do Campo nas escolas do campo, que a propósito, é um direito do sujeito campestre e um dever do Estado.

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.