Sábado, 25 de Junho de 2022
27 99902-4179
Geral Economia

Lira sobre reajuste: “Petrobras age como inimiga do Brasil”

Presidente da Câmara disse que vai convocar "reunião de líderes para discutir a política de preços" da empresa

17/06/2022 09h54
Por: Redação O Diário Fonte: da redação
Presidente da Câmara Arthur Lira (PP).
Presidente da Câmara Arthur Lira (PP).

Na noite desta quinta-feira (16), o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disparou críticas contra a Petrobras em virtude da possibilidade de um novo aumento no preço dos combustíveis. Para o parlamentar, a empresa “age como amiga dos lucros bilionários e inimiga do Brasil”. Ele ainda pretende discutir a política de preços da Petrobras com líderes partidários na próxima segunda-feira (20).

O conselho de administração da empresa se reuniu na tarde desta quinta. De acordo com o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, os conselheiros autorizaram a empresa a anunciar um reajuste nos combustíveis nesta sexta-feira (17). Segundo a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicaom), na comparação com os preços internacionais, a defasagem do diesel chega a 18% e a da gasolina chega a 14%.

O último reajuste promovido pela Petrobras ocorreu em 9 de maio. Na ocasião, apenas o diesel sofreu o aumento, que subiu 8,9% nas refinarias. Já a gasolina foi reajustada em março, pouco depois do início da Guerra na Ucrânia. Na época, o preço subiu 18,7%.

Lira fez as críticas em sua conta do Twitter.

– A República Federativa da Petrobras, um país independente e em declarado estado de guerra em relação ao Brasil e ao povo brasileiro, parece ter anunciado o bombardeio de um novo aumento nos combustíveis. Enquanto tentamos aliviar o drama dos mais vulneráveis nessa crise mundial sem precedentes, a estatal brasileira que possui função social age como amiga dos lucros bilionários e inimiga do Brasil. Na segunda feira, estarei convocando uma reunião de líderes para discutir a política de preços da Petrobras. Política da Petrobras, que pertence ao Brasil e não à diretoria da Petrobras – escreveu.

 

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.